Se você procura ficar por dentro do que está acontecendo no comércio eletrônico por aqui e em outras partes do mundo, já deve ter ouvido falar da bitcoin, a moeda virtual criptografada. Em 2017, ela teve valorização de impressionantes 343%, mas ainda pouco se sabe sobre sua influência no mercado atualmente.

O que é o bitcoin

Para quem nunca ouviu falar, vale a pena explicar. Moeda virtual criada em 2008, ela pode ser usada em compras em qualquer local que as aceite. Não existem cédulas ou dinheiro física. Todas as transações acontecem pela internet – algo que pode facilitar ou prejudicar a utilização dela por algum consumidor, depende do caso.

O que dificulta seu uso, cria polêmicas e confusões de onde pode ser utilizada ou não é que não existe nenhum órgão regulador responsável por ela. Porém, o Japão já criou regularizações para que seja usada como forma de pagamento e a Rússia pretende fazer o mesmo em 2018.

Como é utilizada atualmente

A principal forma de utilização da bitcoin atualmente é como investimento. Muitas pessoas atentas a constante valorização da moeda estão comprando altas quantidades como uma forma de “garantir” um investimento seguro e, claro, para comercializá-las no futuro.

No Brasil, se a moeda fosse um investimento da bolsa de valores, atualmente ela seria a segunda “ação” mais valorizada do país, só atrás do Magazine Luiza.

 

Reprodução / WeBitCoin

 

Várias empresas atualmente incluem o bitcoin em suas formas de pagamento. A empresa de carros Tesla e a Microsoft são algumas. Também é aceita em forma de doação, como é o caso da Wikipédia e do Greenpeace. Outras deixaram de aceitar a moeda por causa de sua baixa adesão, como a Dell e a WordPress.

Ainda é difícil entender em quais segmentos o bitcoin funciona melhor, porque seu sucesso tem muito a ver com como os consumidores realizam suas compras.

Para aqueles que costumam utilizar mais cartões de crédito e débito, a moeda virtual acaba sendo desnecessária. Já para aqueles que estão acostumados com sistemas de pagamento online, como o PayPal, por exemplo, ela pode ser uma facilitadora. Não à toa, recentemente a processadora de pagamentos online Bitpay afirmou que lida com mais de 2 milhões de dólares em bitcoins por dia.

Fernando Pavani, CEO da BeeTech, empresa de soluções cambiais, comenta que a valorização da bitcoin acontece à medida que mais empresas vão aderindo à moeda como forma de pagamento para seus produtos e serviços – o que faz com que esse dinheiro “circule”.

Existem previsões para o futuro?

Os especialistas afirmam que o futuro é imprevisível para o uso e a valorização da bitcoin, mesmo que atualmente ela esteja sendo um forte investimento. Como ela depende de outros fatores, como sua divulgação, aceitação e regularização, é difícil afirmar como sua ficará sua fama.

No entanto, ela com certeza já é uma possibilidade que transforma as maneiras convencionais de realizar compras. Seu uso e aceitação tem muito a ver com o segmento do negócio e com a própria jornada de compra do cliente.

Para uma empresa inserida fortemente no meio digital, com consumidores mais antenados às mudanças da tecnologia e suas facilidades – como o ramo dos games, por exemplo -, certamente o uso das bitcoins é algo mais recorrente.

Vamos continuar acompanhando todas as mudanças trazidas pelas novas formas – cada vez mais constantes – de realizar negócios. E para você ficar bem informado, não deixe de acompanhar os canais da Projetual. Além do blog, também estamos presentes no Facebook e no Youtube. Fique ligado!

 

Por redação Projetual, com informações de UOL.