blogprojetual
Após rumores, a empresa confirma bloqueio de anúncios em seu navegador Após algum tempo de especulações, a empresa Google confirmou o desenvolvimento de um bloqueador nativo de anúncios no Google Chrome. A atitude a primeiro momento tende a ser surpreendente, tendo em vista que 86% de toda a receita do Google provém de sua publicidade online, através de anúncios em seus próprios sites e em sites parceiros por meio da plataforma Google Adsense. Porém, a verdadeira intenção da empresa é estabelecer um filtro em seus anúncios, bloqueando aqueles que não se enquadram nos padrões de qualidade exigidos pelo Google, como anúncios ofensivos e agressivos. Com esse recurso, o Google pretende melhorar a experiência de navegação de seus usuários e manter o controle de sua publicidade online. Isso porque os anúncios impróprios acabam fazendo com que muitas pessoas instalem bloqueadores de anúncios, os chamados ad-blockers, removendo totalmente a publicidade de seus navegadores, até mesmo os considerados nos padrões de qualidade do Google. Mas o que seriam esses anúncios considerados impróprios? São aqueles anúncios invasivos, que abrem sozinhos ao acessar uma página, se posicionam à frente ou maior que o texto sobrepondo-se ao conteúdo, reproduções automáticas de vídeos com áudio e anúncios que podem induzir o usuário ao erro (se misturando com o conteúdo, por exemplo). Entretanto, nem tudo é tão fácil e simples quanto parece. Se o Google bloquear os anúncios com base em seus conteúdos, ele deve bloquear seus próprios anúncios quando preciso. Além disso, como acontece em muitos antivírus e filtros de segurança, há diversas maneiras de burlar a filtragem. Por esse motivo, na tentativa de selecionar o que bloquear, a companhia se juntou à Coalition for Better Ads, grupo formado por diversas organizações do setor para definir as melhores práticas relacionadas a anúncios online. O recurso será disponibilizado a partir de 2018, permitindo com que os envolvidos tenham tempo para se adequar às novas exigências.   Por Redação Projetual Comunicação