Landing Page - Projetual

A landing page ou página de destino é o local por onde um visitante chega até o seu conteúdo. Não há dúvidas de que essas páginas e os formulários inseridos nelas são imprescindíveis para a geração de leads — contatos ou leads são potenciais consumidores que demonstraram interesse em consumir um produto ou serviço da sua marca.

O objetivo de uma landing page é atrair o visitante até o call-to-action para que ele efetue uma conversão. Por isso, existem métodos e escolhas adequadas para auxiliar nessa tomada de decisão.

Explicaremos neste post, a importância da criação de uma landing page e como melhorar a conversão por meio dela.

A importância da landing page em uma estratégia

As landing pages fazem parte das estratégias do inbound marketing e, normalmente, oferecem uma oferta ou um benefício em troca de alguns dados do usuário. Esse processo é fundamental para a manutenção do funil de vendas e a constância na geração de leads. O setor de marketing e o de vendas só poderão desenvolver o trabalho, caso recebam novos contatos a serem trabalhados.

Dessa forma, a conversão está diretamente aliada à qualidade da landing page. Segundo uma pesquisa realizada pela Hubspot, empresas com 30 ou mais landing pages geram 7 vezes mais leads do que empresas com menos de 10 no ar.

Em média, uma boa taxa de conversão de páginas, ou seja, o número de pessoas que clicaram no link, viram a página e se cadastraram, é de 20%. Porém, landing pages de alta conversão conseguem atingir até 50% de cadastros, diminuindo assim os custos de aquisição por cadastro qualificado.

5 dicas para aumentar a conversão em uma landing page

Para criar uma lading page focada em conversão, é necessário criar chamadas claras, concisas e orientadas à ação. Preze pela experiência do usuário, para que ele se sinta confortável e seguro ao navegar na sua página.

Confira 5 dicas que você precisa colocar em prática para aumentar a sua conversão.

1. Utilize linguagem para guiar a conversão

Uma página de conversão não pode ser confusa nem distrair o usuário. O tempo que o visitante leva para visualizar toda a página será inversamente proporcional à probabilidade de ele clicar no botão de ação. Portanto, o usuário deve entender a oferta e a ação em poucos segundos.

A chamada deve começar com um verbo e explicar ao visitante o que ele deve fazer. Mostre o valor da oferta a sua persona, mas não cite o nome da sua empresa, essa atitude não é recomendada. A criação de uma landing page deve contar com o trabalho de um redator em conjunto com o designer, pois cada detalhe influenciará no cadastro.

Exemplo de chamada: “Cadastre-se agora e receba um cupom de desconto!”.

2. Vá direto ao ponto

Uma landing page deve possuir uma oferta, formulário e call-to-action. Além dessas três informações, trabalhar com uma imagem ou um vídeo também pode influenciar na conversão. Não crie textos muito extensos ou demore a explicar sobre a oferta. Outra estratégia é utilizar números, mostrando os benefícios que o leitor terá caso complete a ação: ganhe agora 50% de desconto!

É importante saber que o formulário de cadastro deve refletir no valor da oferta. Por exemplo, não é usual pedir número de telefone e dados da empresa em materiais de topo de funil. Comumente, dados dessa relevância são pedidos em cadastros de fundo de funil e são passados em troca de materiais de análise do mercado ou uma consultoria gratuita.

3. Direcione os olhos do usuário

Quando um usuário chega até a sua landing page, é importante que os pontos centrais da mensagem saltem aos olhos sem a necessidade de utilizar a barra de rolagem. O call-to-action não deve ser o único responsável pela conversão.

Por isso, confira algumas características de uma boa landing page:

  • headline: a chamada principal localizada no topo da página que mostra a oferta e a explica com poucas palavras;
  • formulário: local de coleta dos dados dos visitantes que pode ser destacado por meio de quadros e cores. Analise o estágio do funil para identificar os campos mais pertinentes. Normalmente, os mais utilizados são: nome, e-mail e empresa;
  • call-to-action: o botão é o local onde o usuário vai clicar para confirmar a vontade em adquirir a oferta. O call-to-action deve ser chamativo, utilizar as cores certas, usar verbos no imperativo (compre, baixe, adquira, cadastre) e passar um senso de urgência;
  • vídeo ou imagem explicativa: um pequeno vídeo ou um infográfico podem ser utilizados para demonstrar as vantagens da oferta;
  • provas sociais: esse tipo de recurso é um acessório importante para que o visitante tenha mais confiança na oferta. No momento em que o usuário percebe que outras pessoas já adquiriram aquela oferta, ele fica tentado a adquirir também.

4. Trabalhe com as cores e tamanhos

As cores são importantes e devem ser trabalhadas tanto na landing page quanto no call-to-action. Elas devem ser chamativas e apresentar contraste, mas não se esqueça da legibilidade. As cores transmitem sentimentos e você deve analisar isso ao criar uma página.

Por exemplo, a cor vermelha traz a ideia de emoção, romantismo e energia. Já a cor amarela aflora a criatividade e atenção. A cor azul transmite confiança, segurança e calma, e a cor preta difunde a ideia de poder e precisão.

Além do mais, o tamanho do botão de ação também deve ser analisado em relação aos demais elementos, assim como a posição em que ele aparece. Cada página de chegada deve possuir apenas um botão para não distrair o visitante.

5. Crie variações

Para otimizar cada landing page é importante realizar um teste A/B. Assim será possível entender e mensurar qual opção está funcionando melhor. Porém, realize apenas uma variação a cada teste. Caso você mude a cor do call-to-action, posicionamento dele e chamada da oferta, não será possível descobrir exatamente qual fator levou à mudança dos resultados.

Para analisar os resultados utilize os dados de acessos fornecidos pelo Google Analytics e as métricas utilizadas pela plataforma onde a landing page foi criada. O RD Station, por exemplo, fornece dados completos sobre os resultados de cada página.

É possível concluir que há várias formas de otimizar uma landing page. No entanto, não há uma receita definitiva do que é certo ou errado. Cada empresa pode utilizar a mesma estratégia e perceber resultados diferentes, o sucesso depende de como a persona receber aquela informação.

Agora que você já entendeu a importância de uma landing page em uma estratégia focada em conversão, que tal conhecer mais sobre o processo do funil de vendas?