mobile no e-commerce - projetual

Quem procura ficar atento sobre tudo o que acontece no mundo do marketing digital, seja aqui no blog ou em outros canais, já deve ter percebido que todos sempre “batem na mesma tecla”: o mobile no e-commerce precisa ser investimento.

E não é à toa. Como já falamos aqui, as compras via smartphone moveram cerca de 28% de todas as compras realizadas no comércio eletrônico brasileiro em 2017. Neste ano, a expectativa é que esse número ainda suba um pouco, e o mobile atinja  cerca de 32% das transações.

Mobile no e-commerce cresce cada vez mais

Tudo isso para confirmar mais uma vez: o mobile no e-commerce é importante. No entanto, às vezes, não basta ter apenas um site responsivo e estar presente nas redes sociais mais acessadas via smartphone.

Uma pesquisa da Worldpay e Opinium Research, que analisou os hábitos do consumidor móvel brasileiro, constatou que 78% dos entrevistados prefere comprar via aplicativos, deixando o navegador de lado. São mais brasileiros optando pelos apps do que a média mundial, que é de 71%.

Com isso, podemos perceber melhor porque aplicativos como o iFood deram tão certo por aqui, já que trazem tanta comodidade e simplicidade para quem opta por eles. A velocidade é o fator chave, já que os apps são caminhos mais fáceis para finalizar as compras.

A pesquisa nos mostrou que os consumidores brasileiros gostam de experiências personalizadas, em especial, aquelas que facilitam e melhoram o processo de compra.

Falamos isso porque cerca de 53% dos entrevistados alegaram que estariam dispostos a pagar mais por um produto ou um serviço se a experiência do usuário for melhor. A média global está bem abaixo disso, beirando os 41%.

Os aplicativos costumam ser um território propício para melhorar a experiência da pessoa que o acessa. Mais acessibilidade e responsividade são características dos apps em relação aos navegadores, que muitas vezes atrapalham a navegação do usuário por vários fatores: tamanho da fonte, página não ajustada, demora na resposta, dificuldade em detectar comandos, etc.

O que falta melhorar

O Mobile Payment Journey chama atenção para algo bem importante: para os consumidores brasileiros, falta a sensação de segurança para o mobile no e-commerce. Eles não estão dispostos a comprar de qualquer aplicativo, dar facilmente suas informações pessoais ou aceitar condições sem antes ficar com um pé atrás.

Nada menos que 76% dos entrevistados afirmam que só fazem downloads de apps de desenvolvedores que julgam ser realmente confiáveis. Não está muito longe da média global, que é 71%, mas certamente influencia muito o comportamento.

“A segurança é uma grande preocupação e um dos motivos do abandono de compras antes do pagamento. As lojas devem buscar formas de implementar tecnologia biométrica como forma de aumentar a segurança e a confiança do consumidor na marca”, comenta Juan D’Antiochia, gerente geral da Worldpay na América Latina.

Cerca de 63% dos entrevistados se mostrou seguro em oferecer seus dados biométricos, por exemplo, desde que isso tornasse o serviço mais personalizado e rápido.

Com isso, vemos que as prioridades do brasileiro que está usando o mobile no e-commerce são duas principais: agilidade e segurança. As empresas que conseguirem combinar isso em um único serviço, certamente estarão na frente.

E nós sabemos que passar uma imagem de segurança para o público não depende apenas de quanto dinheiro há no caixa ou do portfólio, mas também da criação de uma identidade sólida e de respeito. A Projetual, como uma agência que trabalha com marketing digital há mais de 15 anos, sabe da importância de transparecer suas principais habilidades para o público.

Para saber mais sobre essas e outras informações, continue acessando nossos canais. Ah! E você sempre pode entrar em contato conosco para esclarecer qualquer dúvida, ok? 😉


Por redação Projetual, com informações de E-commerce News.