Presença cada vez maior do mobile

Já não é mais novidade que os smartphones são importantes plataformas para o relacionamento interpessoal dos usuários de internet. Como já falamos aqui, até no marketing digital os dispositivos móveis já possuem forte relevância, sendo responsáveis por conduzir praticamente um terço das transações.

Para saber mais sobre como o mobile mudou a forma de relacionamento dos usuários da internet, a ComScore, empresa americana de análise digital, realizou o estudo Mobile & Maslow. O que conduziu a pesquisa foi a intenção de descobrir como o conceito (auto-explicativo) “Mobile em primeiro lugar” influenciou o comportamento dos consumidores online.

O estudo analisou o comportamento de usuários de nove diferentes mercados globais: Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, Espanha, Itália, Brasil, México, China e Indonésia. Vamos mostrar a seguir as principais observações trazidas pela pesquisa.

Resultado de imagem para mobile internet

Imagem: reprodução / TechRasa

Dominância do mobile

Nos países analisados pelo estudo da ComScore, todos, sem excessão, mostram que os dispositivos móveis dominam a maior parte do tempo gasto on-line. No Brasil, descobriu-se que 72% dos minutos gastos na internet acontecem através do acesso mobile.

O Reino Unido mantém o maior número de dependentes do desktop para o acesso à internet: 39%, o que quer dizer que 61% do tempo on-line dos usuários se dá por dispositivos móveis. Mas é na Indonésia que tem os dados mais impressionantes: 91% do tempo gasto na internet acontece através dos mobiles.

Era dos aplicativos

Certamente a disparada no uso de smartphones e tablets se caracteriza pela necessidade de coisas práticas, rápidas e fáceis de usar, e isso se traduz no uso dos aplicativos. Através dos apps é possível perceber como os dispositivos móveis podem atuar em quase tudo de essencial em nossa vida: acessar redes sociais, mandar mensagens, encomendar comida, pedir remédios, realizar compras, pagar contas, etc.

No Brasil, cerca de 89% do tempo que os usuários passam conectados em um smartphone ou tablet é gasto em aplicativos diversos. Esse número chega a incríveis 99% na China, onde podemos pensar que os usuários conectam-se aos dispositivos móveis exclusivamente por causa dos aplicativos.

Resultado de imagem para phone apps

Imagem: reprodução / Times Higher Ed.

Necessidades dos usuários

A pesquisa relacionou o uso do mobile a cinco categorias de necessidades: fisiológicas; segurança; social/amor/pertencimento; estima/respeito; autorrealização. Em cada categoria descobriu-se dados interessantes em como os dispositivos móveis atendem aos indivíduos.

No que se refere às necessidades fisiológicas, por exemplo, observou-se que o tempo gasto na compra de alimentos e refeições, principalmente em aplicativos de entrega (como o iFood), tem crescido a um ritmo mais acelerado do que o próprio crescimento do uso do mobile.

Já sobre segurança, podemos citar a realização de operações bancárias através dos dispositivos móveis. Em país como Brasil, Estados Unidos, Indonésia, México e Reino Unido, é mais comum que pessoas utilizem aplicativos mobile para realizar essas operações do que seus computadores.

Considerando o uso das redes sociais – enquadrado na categoria de estima/respeito -, o estudo cita um dado impressionante: cerca de 1/3 do tempo que ficam on-line em dispositivos móveis os usuários passam em redes sociais. Isso mostra que essas mídias são uma ótima plataforma de relacionamento entre consumidores e empresas.

No que se refere ao seu comportamento nas redes, os usuários hoje mais compartilham conteúdo alheio do que o seu próprio status. O consumo de conteúdo público ou de marcas cresceu fortemente, enquanto o de cunho pessoal permaneceu na mesma média.

Resultado de imagem para redes sociais

Imagem: reprodução / Viver de Blog.

Quem são os usuários

Quando considera-se quem são os usuários do mobile em cada país, as coisas variam bastante de acordo com categorias e demografias. É muito difícil encontrar lugares onde a maior parte dos usuários de internet acessam a rede apenas pelo mobile – isso acontece apenas na Indonésia. Porém, a tendência geral é que cada vez menos pessoas utilizem o desktop para conectarem-se.

O que é generalizado é o uso das múltiplas plataformas, tanto desktop e mobile no acesso, em tempo e em audiência. No Brasil, cerca de 45% dos usuários acessam a internet dessa forma, utilizando diferentes aparelhos.

No que se refere à idade, uma coisa é certa: quanto mais jovem, mais tempo o usuário passa no mobile. O que vale também no acesso pelo desktop, como uma consequência direta da relação de idade e o de uso de internet de modo geral.

E agora?

Para o marketing digital, todos esses dados trazem previsões que se apresentam como oportunidades e desafios. De acordo com o estudo, percebemos que o que os usuários buscam é funcionalidade, realizar mais gastando menos tempos e ter mais possibilidades no meio do caminho. Os aplicativos ganham muita vantagem nesse sentido.

O desafio ainda é conquistar a confiança do consumidor, principalmente aqueles das faixas etárias mais elevadas. Para isso, é preciso se esforçar em oferecer uma boa experiência para o usuário através do mobile. Pensar seus anúncios no Facebook para o mobile, por exemplo, é uma boa estratégia.

Algo que motiva muito o consumidor dos dispositivos móveis é a facilidade da comunicação. Nesse sentido, é possível se aproveitar dessas facilidades para melhorar o contato com o cliente e melhorar sua experiência.

Resultado de imagem para digital marketing

Imagem: reprodução / Tru Consulting.

O estudo da ComScore pode ser conferido na íntegra através do site.

Gostou das nossas informações? Sempre procuramos ficar por dentro das novidades e tendências do marketing digital, no intuito de contar tudo o que aprendemos para você. Para saber mais, continue acompanhando a nosso blog!

 

Por redação Projetual.