Você já percebeu como temos cada vez mais opções de conteúdo? Inúmeros canais de streaming, influenciadores, redes sociais e suas ferramentas, entre várias outras. Em meio a tudo isso, uma categoria tem ganhado força: o conteúdo humanizado.

Se você ainda não sabe o que é isso, não se preocupe. Hoje, vamos falar do que se trata e como a sua demanda tem crescido internet à fora. Acompanha aqui.

Entenda um pouco melhor o universo do conteúdo

Quando falamos apenas em “conteúdo”, temos um universo bastante grande pela frente. Pode ser um filme, um meme, uma série, um texto de blog, um e-book. Um produtor de conteúdo pode ser um influencer do TikTok ou um redator 5 estrelas em sua área de conhecimento. O foco de cada conteúdo é diferente, mas todos eles visam agregar algum tipo de valor a quem os consome e a um tema.

No marketing de conteúdo, as empresas criam textos, vídeos e outros materiais estratégicos com intuito de agregar valor à sua marca e conhecimento ao potencial consumidor na ideia de educá-lo sobre os problemas que a marca pode resolver, além do próprio universo do seu segmento.

E qual é o problema atual?

O problema com as práticas de conteúdo atualmente é um que já identificamos aqui na Projetual há algum tempo: quantidade sem qualidade. Muito sendo dito, sem pensar como será recebido por usuários e consumidores ou beneficiará um negócio no final.

Será que aquele texto de blog ou vídeo no canal da empresa está realmente agregando alguma coisa para o público-alvo dela, está se comunicando de forma eficaz?

Para superar esse problema e oferecer um conteúdo útil, estratégico e atraente em um mundo cada vez mais saturado, várias marcas e plataformas têm investido em conteúdo humanizado.

            Saiba mais: Experiência de conteúdo: o que isso significa?

O crescimento do conteúdo humanizado

Não são poucas as iniciativas que vemos neste sentido, com plataformas dando espaço para conteúdos que geram identificação. Os usuários querem cada vez mais conteúdos com os quais se identificam, e estão buscando isso.

Um exemplo recente foi o sucesso do Clubhouse. Um dos principais motivos do boom da rede social foi seu funcionamento de colocar grandes influenciadores, entre jornalistas, políticos, empresários e artistas para conversar com usuários em suas salas. Ela estabeleceu proximidade entre os usuários e pessoas e conteúdos que admiram.

Em outra linha, a Bloomberg noticiou como cada vez mais celebridades e artistas têm usado canais como o OnlyFans (uma rede onde fãs pagam para acessar conteúdos exclusivos) para divulgar novidades e se conectar com o público. A tendência é que esse formato de consumo ganhe mais força.

Essa valorização pelo conteúdo humanizado está chegando em outras plataformas. O Twitter anunciou a ferramenta “Super Follow”, que vai permitir que os criadores de conteúdo da rede sejam pagos por usuários por materiais exclusivos. Ela vai permitir a monetização de tweets, criação de grupos de interesse e assinatura de boletins informativos dos criadores.

Ok, entendemos como vários setores de mídia tem investido em conteúdo humanizado. Mas e as estratégias de marketing?

Como fazer marketing de conteúdo humanizado

Mesmo uma empresa que direciona a produção de conteúdo apenas para o seu blog pode fazê-lo de forma humanizada. Basta que o foco esteja no cliente, na sua maneira de consumir e assimilar o que é feito para ele.

            Saiba mais: A importância de ter um blog para sua empresa

A tônica do marketing de conteúdo humanizado é que ele fale do cliente, para o cliente, não sobre a empresa. O storytelling da marca deve ver o “herói” no consumidor, e não na marca.

Conhecer seu público é o mais essencial

 Conhecer bem seu público, alinhar suas personas, desenhar uma jornada coerente e estar sempre pesquisando o cenário são etapas fundamentais para produzir um conteúdo humanizado.

Alinhando tudo isso entre as áreas estratégicas da empresa responsáveis pela criação, será possível atender aos critérios-chave do conteúdo humanizado:

– A linguagem do texto está alinhada à linguagem do usuário?

– O tema do conteúdo é interessante para o usuário, ele vai querer consumir e compartilhar?

– O conteúdo traz autoridade para a marca?

– As referências e informações utilizadas são compreensíveis e agregam?

– O conteúdo se coloca na perspectiva do cliente e o entende?

– A marca consegue se inserir e ser lembrada pelo usuário através do conteúdo produzido

Esses são alguns fatores para levar em conta no conteúdo humanizado. Também há fatores da experiência do usuário que são extremamente relevantes, como sites e páginas responsivas.

Sua produção de conteúdo precisa ser estratégica

Todos os itens que citamos para um conteúdo humanizado, que realmente cative o usuário, são sabidos entre os grandes profissionais que já os utilizam.

Quer trazer as mesmas soluções pra sua empresa? Conte com produtores de conteúdo especializados, que conhecem bem ferramentas e estratégias para chegar no seu público da maneira correta.

Fale conosco e vamos começar a produzir o conteúdo certo para sua marca.