Você sabe fazer bons call-to-action?

Quantos exemplos de call-to-action (CTA) você conhece? Essa é uma das táticas utilizadas no marketing digital. É por meio dele que os usuários realizam ações específicas a fim de converter em eventos importantes para a sua empresa, como vendas ou troca de dados.

Muito se fala da importância dos CTAs para as conversões. Mas, há fatores que devem ser considerados para a escolha da melhor desse gatilho.

Quer melhorar a conversão do seu site, aumentar as suas vendas ou captar mais leads? Então leia este conteúdo até o final e veja exemplos de call-to-action e qual é o melhor momento de aplicar cada um deles.

O que é um call-to-action?

É uma expressão em inglês que pode ser traduzida como “chamada para ação”. O objetivo é mostrar para o usuário qual é o próximo passo , convidando o a realizar uma interação. É possível encontrá-los em anúncios, blogs, e-mail marketing e landing pages.

A tática é realmente importante porque é mais fácil o usuário realizar uma ação quando é convidado!

A ideia não nasceu na era digital, onde somos convidados a realizar ações a todo tempo! Também temos exemplos fora do mundo online: alguns estabelecimentos possuem placas com chamadas para ação, como “entre”, “aberto”, “ambiente com ar condicionado”, entre outros.

Como escolher o CTA certo?

Há alguns fatores que devem ser levados em consideração na escolha do CTA. Veja só!

Estágio do funil de vendas

O funil de vendas é um dos pilares do marketing digital e ajuda a organizar os conteúdos conforme seus estágios: topo, meio e fundo de funil. Ao mesmo tempo, indica ao lead qual o próximo passo. No momento em que é definido o conteúdo e sua fase, deve-se optar, também, pelo call-to-action para aquela situação.

Faria sentido criar um conteúdo de atração pertencente ao topo de funil e sugerir ao final uma consultoria gratuita do seu serviço? O usuário ainda nem reconhece o problema que tem, portanto irá sentir que o convite não é para ele.

Para continuar convertendo o mais indicado seria propor o download de um e-book relacionado ao post ou sugerir um outro conteúdo que tenha afinidade com o assunto.

Persona da empresa

É preciso analisar a persona para definir sua estratégia de marketing, inclusive, para saber qual é a melhor opção de CTA.

Ao conhecer bem o público que você deseja engajar e encantar, você saberá exatamente o que ele espera com a sua publicação, página ou e-mail. Assim como o que chamaria a atenção dele a ponto de converter na sua chamada para ação.

Por exemplo, se sua empresa é do setor de móveis e realiza anualmente um relatório do setor moveleiro, esse material rico poderá ser disponibilizado em um e-book e o call-to-action pode ser focado nessa conversão.

Local, formato e cor

Além de analisar os estágios do funil e a persona da empresa, é preciso criar chamadas atrativas! Eles devem trazer verbos imperativos, como: compre, clique, baixe, inscreva-se e cadastre-se.

Os CTAs devem ter tamanho adequado, cor contrastante com as demais cores da página e local específico, como centro da página, rodapé, barra lateral ou no final de um blogpost.

Isso pode variar conforme o formato da informação que está disposta na página. O importante é que, no caso de botões, estejam sempre bem visíveis.

Esses elementos devem ser testados e combinados para chegar ao chamado para ação ideal.

Outra estratégia recomendada é usar números nesses convites, evidenciando os benefícios que o leitor terá caso complete a ação, como por exemplo: ganhe agora 20% de desconto.

Mas nem todas as chamadas precisam ser botões. Para posts em blogs, por exemplo, pode-se inserir um link ao fim do conteúdo com uma breve chamada para ação. Bem ali, logo na conclusão, relacionando o tema abordado com a importância dele ir para a outra etapa ou acessar o outro conteúdo.

6 exemplos de call-to-action

1. “Siga a gente nas redes sociais”

Esse é típico do topo de funil e muito utilizado no fim dos posts. Ao sugerir o engajamento nas redes sociais, você cria um canal de ligação entre a empresa e o usuário. Se o visitante chegou até o seu conteúdo por meio de uma pesquisa no Google, agora ele poderá continuar a receber os seus posts via Facebook, por exemplo.

2. “Assine a nossa newsletter”

Esse botão pode ser inserido em um post de atração ou ficar em uma barra fixa na lateral do site. Ao se inscrever em uma newsletter, o usuário está assumindo que deseja receber mais conteúdo da sua marca, passando do topo para o meio do funil.

Por isso, criar fluxos de e-mail marketing automatizado é importante. Ao se inscrever em uma newsletter, o ideal é que o usuário comece a receber conteúdos que farão com que ele percorra a jornada de compra da empresa.

3. Link a outro artigo no blog

Esse tipo de chamada para ação pode ser colocado em qualquer estágio do funil de vendas. Essa opção é importante para otimizar o tráfego do site. Isso contribui para o SEO (Search Engine Optimization), pois ele faz com que o usuário permaneça mais tempo no site, mostrando ao Google que aquele endereço atende às expectativas da palavra-chave que foi buscada na pesquisa.

4. “Fale conosco!”

Indicado para conteúdos de meio ou fundo do funil!

Como a persona já passou por outros estágios, ela já reconhece que tem um problema e enxerga na sua empresa uma possível solução. Dessa forma, esse lead já está pronto para pedir um orçamento ou tirar dúvidas mais específicas sobre o serviço ou produto.

5. Links internos

Essa é uma alternativa interessante para o meio e fundo de funil. Alguns usuários chegam ao blog da empresa por meio de pesquisas orgânicas, mas ainda não conhecem, de fato, o site, produto e história da empresa. Criar um call-to-action para isso, auxiliará na credibilidade e aproximação do lead com os serviços, cases e histórico da empresa.

6. “Faça um download”

Esse CTA pode ser usado em qualquer estágio do funil, mas o tipo de conteúdo oferecido deve ser condizente com a etapa em que está o leitor. Lembrando que o material do download deve ser relacionado com o conteúdo, para justificar o fato de o usuário ter que baixar um arquivo.

Como vimos, o tipo de CTA a ser escolhido vai depender de alguns fatores e da estratégia que está sendo seguida. Mas, ainda assim, sempre faça testes pesquise os seus concorrentes e veja como os sites de outros países trabalham, isso pode ajudar na hora de optar pela melhor chamada.

Agora que você já conhece vários exemplos de call-to-action já é possível colocar essas dicas em prática. Ainda tem alguma dúvida sobre esse assunto? Deixe o seu comentário aqui no post.

Ó… Percebeu o CTA aqui?