O E-commerce registrou mais um ano de crescimento na casa dos dois dígitos, depois de aumentar 12% em 2018. Conforme o 39º relatório Webshoppers, o comércio eletrônico no Brasil deve saltar 15% em 2019 e faturar R$ 61,2 bilhões.

O Webshoppers é o estudo de maior credibilidade sobre o comércio eletrônico brasileiro, realizado pela Ebit | Nielsen desde 2001. Em 2019, o relatório apresentou que os celulares foram parte essencial para o crescimento do e-commerce.

As vendas via dispositivos móveis, também conhecida como m-commerce, representaram 42,8% de todos os pedidos do e-commerce do Brasil em janeiro de 2019. Enquanto o e-commerce total cresceu 12% em 2018, o m-commerce cresceu 41% no mesmo período.

Um fator interessante das compras via dispositivos móveis é que são escolhidos produtos com um ticket médio de menor valor, quando comparado a compras via desktop.

Confira: Fator mais importante na decisão de compra dos brasileiros no e-commerce é o preço.

Fonte: Ebit | NielsenDe acordo com Ana Szasz, head da Ebit | Nielsen, “O m-commerce vem se mostrando a grande via de democratização do e-commerce. Em 2018, registramos 10 milhões de consumidores que fizeram uma compra online pela primeira vez, incluídos digitalmente a partir da expansão do mercado de smartphones e do acesso à banda larga”.

Categorias mais vendidas no e-commerce em 2018
Fonte: Ebit | Nielsen

Algumas categorias foram as grandes responsáveis pela expressiva alta de pedidos no m-commerce, são elas Perfumaria, Cosméticos & Saúde (com 51% de crescimento), Informática (27%), Alimentos & Bebidas (23%), além de Moda & Acessórios (+6%), Esporte & Lazer (+10%) e Casa & Decoração (+16%).

Outro fator importante analisado no relatório, foi o crescimento da Região Norte (+22%) e, principalmente, Nordeste (27%), demonstrando um aumento na democratização do e-commerce.

As regiões Sul e Nordeste reportam maior crescimento de faturamento em 2018. O Sudeste, concentrando mais de 50% (exatamente 57,6%) do negócio, cresce 6%. A oportunidade de expansão para essas regiões em crescimento surge não apenas para os lojistas online, quanto para toda a cadeia que trabalha na viabilização do e-commerce: empresas de logística, operações, conectividade e meios de pagamento.

Resultados de 2018 no Brasil

Mesmo em um ano turbulento, com eventos como a Copa do Mundo, eleições, alta do dólar e os impactos da Greve dos Caminhoneiros, o comércio eletrônico brasileiro manteve a curva de crescimento em 2018 e registrou faturamento de R$53,2 bilhões, alta nominal de 12%, comparado a 2017.

No Brasil, 58 milhões de consumidores já estão online, ou seja, 27% da população brasileira, o que representa um crescimento de 6% em relação ao ano anterior. O setor é fomentado, principalmente, pelo crescimento no número de pedidos, que, em 2018, alcançou a marca de 123 milhões, e o ticket médio de compras foi de R$434, alta de 1%.

Como fazer parte do crescimento do e-commerce em 2019

Como considerações finais, o relatório afirma que o e-commerce deve ser considerado um fator decisivo nas estratégias de negócios, seja voltado para varejistas, fabricantes ou investidores do mercado. Entender a dinâmica e operações dessa ferramenta é fundamental para todos envolvidos na cadeia: meios de pagamento, logística, investidores.

Confira os pontos importantes no momento de planejar seu negócio, segundo a Ebit | Nielsen:

Fonte: Ebit | Nielsen

Quer saber mais sobre, entre no site da Ebit e baixe o relatório na integra.

Para alcançar bons resultados em seu e-commerce é importante contar com a ajuda de profissionais capacitados. A Projetual, possui mais de 15 anos de experiência, converse com a gente e descubra mais possibilidades para sua empresa!