storytelling

Sabe quando uma grande marca faz uma propaganda e coloca alguns de seus consumidores contando histórias pessoais, tocantes, que geralmente se relacionam de alguma forma com a marca em questão? Isso é o uso mais comum de storytelling que vemos na publicidade.

Já faz algum tempo que o storytelling é utilizado como estratégia das marcas, utilizando depoimento de pessoas reais das mais diferentes maneiras. Geralmente, a prática envolve recursos audiovisuais e necessita de um roteiro, uma narrativa para fazer sentido.

O principal intuito do storytelling é o de criar uma proximidade do consumidor, estabelecer intimidade. Geralmente, a marca procura inserir seus produtos e serviços em situações cotidianas, simples, de forma que qualquer um reconheça como ela pode ser útil no dia a dia.

Quando bem feito, este tipo de publicidade acaba sendo extremamente eficiente. Ao deslocar a imagem da publicidade da empresa/produto/serviço para um consumidor, a própria coisa que está sendo oferecida torna-se mais atraente.

Considerando as atuais gerações que são as mais numerosas como força trabalhadora e consumidora, os Millennials e a Geração Z, o storytelling acaba se tornando uma estratégia bastante proveitosa. Isso porque, como já falamos aqui, ambas as gerações fazem questão de se relacionar com marcas que oferecem seus serviços e produtos de forma personalizada e conseguem transformar o consumo numa experiência única e pessoal.

Ainda falando sobre estas duas gerações, existe muita coisa que precisamos saber sobre elas. Inclusive, a Projetual já falou bastante sobre os millennials e também sobre a geração Z.

Como fazer um bom storytelling

Para as empresas que querem fazer um bom conteúdo usando a estratégia do storytelling, alguns fatores precisam ser lembrados. Geralmente, uma boa peça publicitária será aquela que passa uma mensagem sincera e ao mesmo tempo capaz de se conectar com o público de forma aparentemente particular.

Antes de tudo, é preciso criar um bom projeto para o conteúdo, focando principalmente na narrativa e na mensagem buscada por ela. O storytelling é sobretudo uma maneira de criar um impacto positivo para a imagem da marca, serviço ou produto, sem ser óbvio na mensagem.

Portanto, antes de qualquer coisa é preciso pensar no impacto desejado e aí construir formas de buscá-lo. Coisas como definir bem a persona da marca, por exemplo, é essencial.

Pensando em itens como a persona também pensa-se no público. Geralmente, um storytelling é uma peça de alto alcance, já que exige um trabalho relativamente grande para ser realizado e é disparado em vários meios.

Mesmo assim, pensar no público exato que se pretende atingir com aquela mensagem faz parte essencial, já que a “história” contada e o efeito que ela criar não será o mesmo em todo mundo. A narrativa precisará ser escrita com base no público buscado.

Por fim, é preciso pensar em qual(is) canal(is) será veiculada a peça. Atualmente, mais do que nunca, os meios possuem conteúdos específicos que dão mais certo do que outros. Para ser veiculado em redes sociais, por exemplo, o conteúdo precisa acima de tudo estar adaptado ao formato mobile e ainda estar falando a língua da rede social em questão.

Para o Facebook, por exemplo, sabemos que os vídeos com legendas e um pouco mais longos podem dar certo. No Instagram, as stories têm sido o canal mais estratégico.

Esses são os passos básicos para iniciar a construção de um bom storytelling. É claro que eles são interdependentes, ou seja, dependem um do outro para que funcionem e concretizem um bom resultado.

Gostou das dicas? Continue acompanhando os canais da Projetual para descobrir mais estratégias que podem ajudar a sua empresa a conseguir o público que ela precisa!

Os materiais que disponibilizamos para download, que você pode encontrar aqui, possuem dicas preciosas de como fazer com que sua marca possua uma presença digital forte. Confira!


Por redação Projetual.