Se sua marca deseja alcançar clientes novos através de marketing digital, quais estratégias são utilizadas para isso? Como você divulga seus produtos ou serviços? Já pensou no marketing de conteúdo?

Se você não sabe o que ele é nem como funciona, hoje vamos explicar por que a sua empresa precisa dele. Falaremos das principais plataformas, do papel das redes sociais, de estratégias para construir um bom conteúdo e vamos trazer dados que mostram sua eficácia.

Entendendo o marketing de conteúdo

Com o uso da internet para estratégias de marketing, o conteúdo passou a ser uma ferramenta extremamente útil para atrair a atenção dos clientes e gerar uma imagem positiva da marca. Como? Agregando valor para o cliente, oferecendo algo que ele considera realmente útil.

Existem plataformas específicas para isso. Blogs e canais no Youtube são os mais utilizados e versáteis, que permitem a criação de conteúdo relevante. A utilização de um ou de outro tem a ver com que tipo de conteúdo será produzido, para que finalidade e, claro, o que exige o segmento da empresa.

Para a produção do marketing de conteúdo, o primeiro passo é: deixar as velhas estratégias da marketing de lado. Isto é, esquecer a ideia de divulgar um produto ou serviço focando apenas na mercadoria, oferecendo promoções, dizendo “Compre! Compre!”. A criação de um conteúdo relevante passa por estratégias que visam atrair o cliente para um contato constante e duradouro com a marca, e o estabelecimento de uma imagem positiva da empresa.

Quem está acostumado com as velhas estratégias de marketing, que são muito diretas, irá achar o marketing de conteúdo algo “demorado”, que não tem a ver com a empresa. A realidade é que, atualmente, os consumidores estão mais exigentes, inteligentes e cuidadosos antes de comprar, não deixando-se atrair por algo que é “empurrado” para eles. A premissa principal do marketing de conteúdo é que os consumidores atuais estão atrás de conteúdos relevantes e úteis.

marketing de conteúdo - m4u digital
Reprodução / M4U Digital.

 

Ao oferecer algo relevante para o leitor, seja um texto ou vídeo, ele irá estabelecer um contato simpático com a empresa: consumirá mais vezes, vai compartilhar conteúdos, indicar para amigos, enfim, irá construir confiança com a marca para no futuro consumir um produto ou serviço.

Quais plataformas e ferramentas usar

Vamos começar falando dos blogs. Eles costumam ser a base de todo o marketing de conteúdo, já que são fáceis de criar – basta de uma página à mais no seu site – e por que ele atrai efetivamente a atenção de um potencial cliente. Quando alguém clica em um link de blog, a pessoa está de fato interessada no que aquilo conteúdo tem a dizer.

E como no marketing de conteúdo a estratégia é converter o leitor em um potencial cliente, estratégias existem para captar mais informações de quem está lendo. Na mesma página do texto, um call-to-action pode ser utilizado para, por exemplo, captar o e-mail do leitor para o envio de mais materiais – newsletters, e-books, etc.

Os vídeos são uma boa oportunidade para conseguir autoridade ao mesmo tempo que permite um contato íntimo com o consumidor. Dependendo da estratégia do conteúdo, vale muito mais falar “cara a cara” do que através de palavras. Como já falamos aqui, os benefícios de um canal no Youtube, por exemplo, passam desde a versatilidade do tipo de conteúdo produzido até a larga audiência que pode ser atraída: cerca de 90% dos consumidores atuais dizem se apoiar em vídeos de produtos para realizar compras.

A empresa que realmente foca no marketing de conteúdo vai ver a vantagem de investir em materiais mais densos e valiosos, como os e-books. Eles são ótimos para mostrar a autoridade da empresa no assunto, ao mesmo tempo que angaria a atenção e o contato do cliente, já que para conseguir esse material o interessado geralmente precisa fornecer seu e-mail – que poderá ser usado para enviar materiais futuros.

As vantagens do marketing de conteúdo

O site Viver de Blog, especializado em marketing de conteúdo, mostra a eficácia dessa estratégia. Em relação ao marketing convencional, que inclui distribuição de flyers, telemarketing, propagandas de TVs e rádio e prospecção ativa, o marketing de conteúdo já provou que gera 3 vezes mais leads (consumidores constantes de conteúdo), além de custar cerca de 62% a menos.

Pequenas e grandes empresas investem em marketing de conteúdo, mas as menores são as que mais se beneficiem. As que investem possuem 126% mais crescimento de leads do que aquelas que não investem. Esse índice se reflete na taxa de conversão, que é mais alta para a empresa que produz conteúdo de qualidade constantemente

Produzindo material eficiente e interessante

Fatores bem específicos devem ser lembrados para produzir um conteúdo relevante, que têm tudo a ver com o segmento da empresa, seu funil de vendas e suas personas.

Definir objetivos: ter um blog ou outra plataforma de conteúdo não é uma estratégia em si, só é quando existem objetivos por traz do conteúdo. O que será feito para atrair potenciais clientes; como conseguir engajamento com a marca; que linguagem utilizar; como levar o cliente para o próximo nível de sua jornada de compras. Definir tudo isso passa pela definição de objetivos do conteúdo.

Definir as personas: lembra quando falamos de Buyer Persona? Definir o perfil mais próximo daquele do seu cliente ideal é essencial para a criação de conteúdo. O que a pessoa responsável por produzir esse conteúdo irá fazer não é “dar tiro no escuro”, produzindo sem saber para quem ou para quê. Para aumentar as taxas de conversão, é essencial ter em mente quem irá receber as mensagens

Canais e ferramentas: escolher os principais canais e plataformas passa pelo tipo de conteúdo produzido, abordagem e segmento da empresa. Para uma empresa de games, por exemplo, ter um canal no Youtube é ótimo para fazer reviews e mostrar novidades. O mesmo não é uma boa ideia para um supermercado, por exemplo, que se utilizará de uma plataforma muito mais dinâmica e de rápido contato, como vídeos para Facebook.

Lembrar das redes sociais: o conteúdo produzido não vai se divulgar sozinho. É importante lembrar que a plataforma onde ele é produzido não é a mesma em que é largamente difundido. Por isso, Facebook, Twitter, Instagram, LinkedIn e outras redes são essenciais na divulgação desse conteúdo.

 

E aí, gostou de aprender um pouco mais sobre marketing de conteúdo? Para conseguir estabelecer as melhores estratégias para sua marca, converse conosco aqui na Projetual. Temos as ferramentas necessárias e profissionais experientes para garantir bons resultados!

 

Por redação Projetual, com informações de Mkt de Conteúdo.